theme
O amor das bactérias cadentes. (via praticastes) once said:

"Resolvi excluir todas as músicas do meu computador. Elas já não me servem mais. Não sou mais a que chora e sim a que sorri. Sorriso que você diz lhe aquecer o coração. Tenho novas canções preferidas, novos amigos e novas histórias para contar. Tenho as mesmas teorias, algumas que adoro lhe contar antes de dormir e que com sua ajuda, hoje são bem mais estruturadas. Enquanto fazia a limpeza encontrei nossos prints de conversas e bobeiras que fiz pra você, como aquele texto onde as iniciais formavam seu nome. Sabe, procuro aproveitar todas as manhãs em que acordo com você ao meu lado. Principalmente as de sol, porque amo o reflexo tremulante em sua parede do sol batendo no rio. Aproveito sua preguiça misturada ao sono para bagunçar seu cabelo e dizer o primeiro eu te amo do dia. Às vezes sou uma chata e você um bobo irritado, mas aproveito isso também. E guardo tudo na memória, esses momentos não voltam. Pelo menos não da mesma forma, com as mesmas cores, mesma hora… O futuro é incerto e às vezes assusta, mas hoje digo que estou pronta. Mesmo que nossas manhãs juntos esteja com dias contados ou não, eu estou pronta. Você me ensinou tanto que seria egoísmo pedir que fique para sempre. Seria egoísmo meu parar de desenvolver nossas teorias se algo desse errado. Porque não deu errado. Deu foi muito certo. Quero que nossos dias juntos sejam infinitos e caso não sejam que nossa amizade e história permaneçam."

Capitule (via capitule)

(via capitule)

once said:

"Você pensa que é o fim do mundo, mas não é. Você acha que a sua dor é a pior de todas as dores já existentes, mas está enganado. Fácil é sofrer, passar dias trancado no quarto, chorar até que a última gota do seu corpo se esgote. Difícil é superar. E mais difícil ainda é se convencer de que superou. Fácil é acabar com a vida pra acabar com a dor, difícil mesmo é levantar todos os dias com um buraco no peito e colocar a roupa de existir. Dizer que está bem é fácil, complicado é estar. Escutar aquela música, sentir aquele cheiro e visitar aquele lugar parecem ser coisas que ardem o fundo da alma, porque as lembranças doem como álcool em ferida aberta. Mas a verdade é que não sentir mais nada dói bem mais. O fim de um sentimento é mais triste do que o seu fim propriamente dito. É mais difícil enterrar histórias, momentos e sorrisos à enterrar-se. Enquanto ainda há uma faísca em meio ao fogo apagado, de certa forma também ainda há importância. Sofrer por se importar é natural, estranho é sofrer por não fazer mais diferença alguma. Continuar dentro de uma bolha de solidão e sofrimento é escolha sua, assim como lutar pra sair dela também. Fácil é olhar a vida passando e ficar estático no mesmo lugar, amargurado, desiludido, cabisbaixo. Difícil é assumir que está no fundo do poço e, sim, precisa de ajuda. Difícil é estufar o peito e não se deixar abalar por nada. Fácil é chorar pela cicatriz adquirida, difícil é aceita-la como uma tatuagem interna que faz parte de você."

rio-doce. (via cadjuvar)

(Source: rio-doce, via cadjuvar)

once said:

"A gente acorda um dia, levanta da cama, calça as pantufas, lava o rosto, se olha no espelho e, finalmente, percebe que cresceu. Ninguém mais nos traz remédios e chocolates quando estamos doentes. A quantidade de presentes vai diminuindo com o passar dos anos. O sonho da casa na árvore nunca foi realizado. Um dia a gente acorda e o ursinho de dormir parece bem menor do que lembrávamos. Nosso cabelo cresceu, nossas mãos já alcançam a maçaneta, nossos pés já são grandes para os velhos patins. No quarto, em vez de brinquedos, livros. Na bolsa, um punhado de documentos e não mais o lanche da escola. Os olhos, muito mais acostumados à vida, deixam as coisas bonitas passarem desapercebidas. O sorriso não está tão estampado no rosto quanto antes. A gente deixa de tentar se equilibrar na beira da calçada e passa a buscar equilíbrio nos atos. Deixa de chorar constantemente. A gente acorda, em uma manhã qualquer, e os tios estão mais baixos. Lápis de cor e giz de cera já não são suficientes para colorir nossos dias. O invisível já não nos salta aos olhos. A gente acorda e não há birra que nos faça permanecer na cama até a hora do almoço. O pijama antigo não nos serve mais. Não há ninguém na cozinha fazendo bolo de cenoura. A gente cresce e, muitas vezes, fica cego. Achamos que somos donos dos próprios narizes. Ficamos cegos pela ilusão de liberdade e não vemos a família que ficou para trás. A gente deixa de abraçar e sorrir à toa. “Já somos adultos, devemos agir como adultos”, dizemos. Mas, numa manhã nublada, a gente acorda e dá de cara com um rosto pálido e sem vida. Um rosto de adulto, que esqueceu de ser feliz. Que, na tentativa de tornar-se responsável, tornou-se frio e duro. A gente olha as fotos antigas e lembra de como tudo costumava ser simples. E percebe que, na verdade, a simplicidade ainda existe; Escondida, por trás de teias de aranha, dentro do peito. Basta resgatar o espírito de criança lá do fundo da alma. Porque, crescer todo mundo cresce. Problemas todo mundo tem. É algo impossível de mudar. Não se pode fechar os olhos e voltar a brincar de bola. Pode-se ainda ter aquele antigo brilho, aquela leveza, aquela vontade de ser feliz, que toda criança tem. Basta sorrir para vida e agarrar o que ela tem de melhor: a beleza nos mais simples gestos."

Clarissa Corrêa. (via cadjuvar)

(Source: holdddme, via cadjuvar)

once said:

"Minha mãe sempre mandou tomar cuidado com as pessoas que se fazem de boazinhas. Essas são as piores. Quem é filho da mãe escancarado nem oferece tanto perigo, afinal, a gente sabe com quem está lidando. O problema são aquelas pessoas que se fazem de legais e no fundo não valem dez centavos. Não gosto de gente que pisa em cima dos outros ou tenta se dar bem aprontando todas. Por isso, me recolho. Sou tímida. Um montão de gente ri quando falo isso, mas sou tí-mi-da. Só quem me conhece a fundo sabe. É que sou o tipo de gente que todo mundo pensa que conhece. Mas se enganam feio. Pouquíssima gente me desvenda. Mostro só o que quero. Não por maldade, mas por proteção. A gente tem que aprender a se proteger. Das escolhas dos outros. E até mesmo das nossas próprias escolhas."

Carlos Drummond de Andrade. (via cadjuvar)

(Source: sertanejo, via cadjuvar)

once said:

"Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida. Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro. Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica. Difícil é ocupar o coração de alguém. Saber que se é realmente amado."

Nicholas Sparks. (via oescritor)

(Source: transcurar, via insane-insta)

once said:

"Digamos que eu não sou uma pessoa de sorte no mundo dos relacionamentos afetivos. Porque de vez em quando conheço uma pessoa e acho que estamos nos dando bem e, de repente, ela deixa de aparecer. Não só para de telefonar, mas age como se eu tivesse uma doença contagiosa, ainda não entendo, isso me incomoda, e me machuca."

The Wanted.    (via cravada)

(Source: pieceoflyric, via cravada)

once said:

"Eu encontrei você na hora mais escura. Eu encontrei você na chuva forte. Eu encontrei você quando eu mais precisava e sua luz me trouxe de volta. Encontrei você em um rio de emoções puras. Eu encontrei você, minha única verdade. Eu encontrei você no tocar da música. Eu estava perdido até eu encontrar você."

Caio Augusto Leite   (via perfeitasimetrias)

(Source: resigno, via insane-insta)

once said:

"Eu gosto de você, mas você erra. Erra ao pensar que vou esperar pra sempre, ao pensar que tenho todo tempo do mundo, erra ao pensar que eu não sofro com sua ausência."

Á Prova de Fogo. (via perfeitasimetrias)

(Source: lamen-tos, via insane-insta)

once said:

"É difícil demonstrar amor quando você não sente motivação. Mas, amor no sentido mais verdadeiro, não é baseado em sensações, mas na determinação de agir com consideração, mesmo quando parece não haver recompensa."